domingo, 30 de setembro de 2012

Apelido



Um camarada mudou-se para uma cidade onde todos eram inapelavelmente alcunhados por algum apelido. Sua casinha tinha, na frente, uma grande árvore.

Não deu outra: passaram a chamá-lo de “Zé da Árvore”. Ele mandou cortar a árvore. Seu apelido mudou para “Zé do Tronco”. Arrancou o tronco, ficou o buraco.

Aí veio o novo apelido: “Zé do Buraco”. Ele tapou o buraco, certo que o problema estava, enfim, resolvido.

No outro dia, passou um cidadão sorridente pela sua porta e lhe disse, para sua surpresa:

— Bom dia, Seo Zé do Buraco Tapado!


Millôr Fernandes

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

terça-feira, 25 de setembro de 2012

domingo, 23 de setembro de 2012

Alguém que eu costumava conhecer





Sinto uma aura de anos 80 quando ouço Somebody That I Used To Know, do Gotye. Na atraente e intrigante abertura principalmente. O uso das vozes masculinas e femininas descrevendo uma relação que não deu certo lembra muito uma música do Human League, "Don't You Want Me" [que você pode conhecer ou lembrar vendo o clipe aqui]. Depois, há o timbre da voz-sósia de Sting no refrão. Sério, quando ouvi pela primeira vez, achei que era uma música nova do Sting. O ponto alto desta música é a intimidade desta gravação que a torna fascinante, especial, elegante e que nos conquista de imediato, seja pela sonoridade, pela letra convincente e pelos vocais emocionais.

Quando o cantor diz "Alguém que eu costumava conhecer", expressa uma ironia muito refinada. A letra toda, expondo simplesmente um relacionamento que teve um triste fim, estabelece a dor nua no final infeliz de um casal, mas mostra de forma impecável uma enorme realidade constante nas vidas das pessoas, levantando mais perguntas sobre os protagonistas do que respostas. Então ouvimos o lado feminino da história, elevando a música ao brilho. 

A maioria de nós também pode relacionar com a dor torturante de alguém importante tornando-se, simplesmente, "alguém que eu costumava conhecer".

A canção até pode não ser chamativa, mas é instantaneamente memorável e está destinada a ser um clássico. Esta será uma das músicas do ano para 2012.

*
Abaixo, dois clipes. O primeiro é sensacional e o outro é uma versão de estúdio que exala tanto a simpatia dos envolvidos que vale a pena ver.