domingo, 16 de outubro de 2011

Existência





Só existo de verdade quando estou escondido numa brecha do tempo no Hotel Danúbio, quando não há roupas nem medo, vergonha nem fingimento, quando somos só desejo e confiança. No resto do tempo me sinto uma cópia falsificada de mim mesmo.


Extraído do filme As Melhores Coisas do Mundo, de Laís Bodanzky.

***
Imagem: pivesives (Flickr).

3 comentários:

Margô disse...

Não assisti este filme portanto o que vou falar não tem nenhuma relação com o mesmo.
Dizer que existe de verdade "quando está escondido" me fez pensar ...isso é existir?? E quando não está neste Hotel, com a pessoa amada se "sente uma cópia falsificada" me fez ter a certeza de que esta pessoa não se encontrou...
Quantos de nós não vivem assim, alheios à realidade e mergulhados na ilusão de que a vida é "como um quarto de Hotel".
Bela escolha Márcio, me colocou a pensar, pena que não mudo muito minha opinião diante do que penso.rss
Beijo

Anônimo disse...

Indico esse filme a todos que apreciam bom roteiro, direção e boas atuações. O filme é inspirado na série de livros "Mano", de Gilberto Dimestein, jornalista e educador em parceria com Heloísa Prieto, tradutora e autora de diversas obras de literatura infanto-juvenil.
E o filme é muito bacana porque trata de assuntos importantes como bullying, preconceito, violência, ebte outros, com foco humano e humor na medida certa. vale a pena!Elaine Luze Neto

Marcello BBlanc disse...

o filme tem umas sacadas legais. e vc também, compartilhando elas com a gente! brigadão, meu amigo.