quarta-feira, 20 de maio de 2009

Abismo




Tão próximos e tão distantes.
Há um abismo entre nós.
Sem toques,
Queixas,
Cobranças,
Nada que lembre o que fomos um dia.

Sabe, sinto uma saudade danada,
De sentir saudade,
De querer teu cheiro,
De desejar teus beijos,
Da espera ansiosa.

Queria tanto acordar e perceber que nada mudou.
Que continuamos os mesmos,
Cúmplices,
Amantes.
Queria te amar novamente,
E ser tua por inteiro,
E tremer só de te olhar.

Ensina-me o caminho de volta.
Diz o que faço.
Queria tanto novamente te amar!


Kátia Martins

4 comentários:

Luna disse...

Pois é uma poesia muito bonita, de alguém que deixou de ser amada...
Só falta a música y teremos uma apaixoada bossa-nova.
Um beijinho

Ana Luisa disse...

Linda poesia! Mais uma da Kátia, só podia!! rs Duro deixar de ser amado ou amada, ou deixar de amar. De quem é a culpa. Existe culpado? Sim. Geralmente nós mesmos!
Beijos

***Déia*** disse...

Poesia belissima!
Obrigada por visitar meu blog ^^
Vou add o seue ndereço no meu, virei aqui sempre que tiver novas atualizações!
bjs

Marcello disse...

caracoles! q imagem!! com essa poesia tão interessante, deu pra sentir o qto causa a falta de diálogo, da falta de compreensão, e doo respeito, a importancia em se sentir amado de novo pela mesma pessoa... parabéns pros dois. abraços