domingo, 12 de julho de 2009

Retorno




Depois de um longo e tenebroso inverno particular, finalmente voltei! Tive que abandonar o blog por um tempo. A bruxa estava solta, meu micro quase pifou, assim como eu também quase pifei (mas essa é outra história). O caso do micro foi mais simples, após dias e dias travando, adquiri um antivírus dos melhores, de responsa mesmo. Formatar o pc estava fora de questão.
De qualquer forma, um mês depois da última postagem, agora posso voltar a postar tranquilamente. Nem gosto de lembrar do estresse que passei tentando ler minhas mensagens em casa (e não conseguindo... saco!), tentando acessar o Orkut (e não conseguindo passar do login... ô cacete!) e tentando ver os blogs que acompanho (e não conseguindo deixar de pensar em socar o monitor...) – todas as páginas travavam por intermináveis minutos! Sabe aquela vídeo que rolou solto na net um tempão, em que um cara espatifa o teclado na mesa? Eu estava quase fazendo aquilo!! Por pouco eu não catei tudo e joguei pela janela! E olha que moro no quinto andar! Que prazer eu sentiria vendo ele se estraçalhando lá embaixo! [uhu!] Ainda bem que me limitei a apenas apertar um botão. Senão eu pifava de vez.
É interessante como certas coisinhas fazem a gente se ligar. Todo esse tempo afastado da net, também serviu para que eu desse um pouco mais de atenção para outras coisas que estavam me fazendo falta e nem era capaz de perceber: rever os amigos, telefonar aos colegas, nada de e-mail, nada de MSN, tinha que ouvir todos eles – putz, como eu precisava disso!! E falar também, claro. Mas pouco, porque o meu forte é ser ouvinte.
Sou muito atencioso. Além de respeitar as individualidades de cada um, assim como suas diferenças. Apesar de ser muito sociável, tenho poucos amigos e procuro preservar. Estes poucos sabem o quanto prefiro ouvir. Observar. Perceber. Sentir. Aprendo muito assim. Aprendo muito com eles e comigo mesmo a cada observação. Ser reservado tem suas vantagens e desvantagens. Uma das desvantagens é guardar tudo e não soltar o verbo pra falar de si mesmo!
Bom... Também não vai ser agora. É. Eu não tenho jeito mesmo.
Edu, um desses meus amigos que encontrei, dizia o quanto gostava da nossa juventude, o quanto a gente aprontava na adolescência junto com a galera. O quanto a gente era incompreendido por quem não era da turma (leia-se: adultos). A turma foi se desfazendo por n motivos: trabalho, estudos, mudanças e por aí vai. Restando apenas nós dois.
Lembramos das brincadeiras, festas e bagunças. E das garotas. Engraçado como foi justamente isso que acabou nos afastando. A namorada do seu melhor amigo que não topa a sua namorada. Não abalou a amizade, de todo. Apenas ficamos distantes. O futebol do sábado rareou até acabar. O “sonzinho” na casa do Zetão sumiu, junto com os discos de vinil. O cinema de domingo era apenas para o que se fazia no escurinho. Só tínhamos tempo para as nossas namoradas.
Hoje a gente ri disso. O namoro dele não durou muito. O meu sim. E como durou.

* * *
Nestes trinta dias, recebi um montão de mensagens perguntando sobre o meu sumiço do blog. Desculpem-me por não ter respondido a todos, pois não disponho do número do telefone da maioria. Tive pouco tempo de abrir meu e-mail no micro do trabalho, isso quando estava presente. Valeu, gente, pela preocupação e pelo carinho.

Clipe: Julho de 83 - Nenhum de Nós
video

6 comentários:

Marcello disse...

fala aí, meu querido! seja bem-vindo de volta! eu mesmo mandei umas dez mensagens pra vc, querendo saber o q tinha acontecido! rs e olha q vc me ligava sempre! kkk eu tava com vcs nesse dia que vc e o Edu comentaram do passado, q divertido, cara! a adolescência é pra mim a melhor fase da juventude! só alegria! kkkkk e q música bacana, gostei muito. e tinha q ter julho na parada! valeu, meu amigo. abração

Tâmara disse...

Eu fico tao pilhada quando fico sem net ...que nem gosto de pensar!

rsrsr

adorei ter vc no INTIMIDADE...
Obrigada pela visita e volte sempre!

Bela disse...

Saudade do meu amigo virtual!
Bem, espero que o inverno tenha passado e vc volte com tudo.
Abraços moço ;)

Gabriela Angeli disse...

Oi, Márcio, que bom que voltou!

Primeiramente porque bater no monitor se a culpa era do PC? Coitado, apanhou sem merecer! Risos...

Brincadeiras a parte, todos temos que dispor deste tempo para falar com as pessoas, do jeito mais tradicional que há, cara a cara. É engraçado como a internet nos deixa pertíssimo de quem não conhecemos e longe dos amigos de longa data.

Bom, o importante é que você aproveitou e está de volta! Bom retorno!

Beijos,
Gabi.

Anônimo disse...

moçinho, q gostoso saber q vc voltou! e se abrindo!! kkkkk sempre respondeu minhas mensagens, tava estranhando q dessa vez não respondeu, mas tá desculpado. rs ficar sem micro é horrível. ahhh e essa música? é realmente demais! esse grupo é muito bom! ah, a adolescencia, td é tão mais diveritido e alegre nessa fase, q saudade q me deu! apesar de q acabei de sair dela! hahaha aposto q vc pensou a mesma coisa! kkkkkk valeu, lindo, não some mais não, tá? bjinhos Samantha

Ana Luisa disse...

Também sou daquelas pessoas que já não sabem viver sem computador e sei muito bem o que você passou! Já quase fiz o mesmo e moro no sétimo andar!
A adolescência foi para mim muito tranquila, não fui uma "aborrescente" problemática, minha mãe que o diga e agradece aos céus até hoje! E foi uma época de muitas descobertas e anseios que dão saudade do sentimento que sentia. Deixou saudade. É tão bom recordar!
Gostei da canção, ótima escolha, Márcio. Como sempre.
Beijos