quarta-feira, 29 de julho de 2009

Pessoa





Foi um momento
O em que pousaste
Sobre o meu braço,
Num movimento
Mais de cansaço
Que pensamento,
A tua mão
E a retiraste.

Senti ou não?
Não sei. Mas lembro
E sinto ainda
Qualquer memória
Fixa e corpórea
Onde pousaste
A mão que teve
Qualquer sentido
Incompreendido,
Mas tão de leve!…

Tudo isto é nada,
Mas numa estrada
Como é a vida
Há uma coisa
Incompreendida…

Sei eu se quando
A tua mão
Senti pousando
Sobre o meu braço,
E um pouco, um pouco,
No coração,
Não houve um ritmo
Novo no espaço?

Como se tu,
Sem o querer,
Em mim tocasses
Para dizer
Qualquer mistério,
Súbito e etéreo,
Que nem soubesses
Que tinha ser.

Assim a brisa
Nos ramos diz
Sem o saber
Uma imprecisa
Coisa feliz.


Fernando Pessoa


* * *

Ilustração: "O chapéu do poeta Fernando Pessoa", de Costa Pinheiro, 1979 (óleo sobre tela)

7 comentários:

LUNA disse...

Márcio, uma bela poesia de sentimentos, de sensaçöes, de esperanças...
Gosei muito,
O quadro do chapéu é muito bonito na sua simplicidade.
Um beijinho, amigo

Ana Luisa disse...

Maravilha de poesia. Pessoa, como sempre fazendo a gente refletir. A ilustração é muito interessante. Valeu, Márcio. Beijos

Marcello disse...

Pessoa, sempre presente em quem gosta de qualidade, pra quem sabe apreciar com inteligencia!! quem sabe, sabe, meu amigo. "sei eu se quando/A tua mão/Senti pousando/Sobre o meu braço,
E um pouco, um pouco,/No coração,
Não houve um ritmo/Novo no espaço?" fantástico isso!! a ilustração é demais. td muito bom. abraços

Anônimo disse...

uau! esse lance do braço é qq coisa!! rs não é de hj, não é de hj!! rs valeu, moço. beijinhos Samantha

Ana Luisa disse...

Que coisa! A cada vez que leio, descubro alguma coisa! Cada hora uma outra interpretação. Nada de diferente, apenas algo que acrescenta! Maravilhosa!! Beijos

Sérgio disse...

"E um pouco, pouco/No coração,/Não houve um ritmo/Novo no espaço?" Não, não, não!! Isso é fantástico! É! Só coisa boa por aqui! Parabéns de novo! rs Abraço

Marcello disse...

marcião, vc sabe q sou meio devagar pra essa coisa de poesia, mas aos pouquinhos vou prestando mais atenção e conseguindo saborear. e essa é daquelas q dá pra sentir o coração bater mais rápido, se colocando no lugar do autor, ou seja, me vi ali, pensando no toque do braço, na brisa... é, meu amigo, vc tá conseguindo me fazer virar fã de poesia!! rs abração