sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Viver





“Viver é a coisa mais difícil do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.”
Oscar Wilde
* * *

Bom, quinze dias de um novo ano, e eu aqui torcendo para que a vida tenha mais sentido, que seja de muitas mudanças significativas, do jeito que aspiro faz um tempão. Sinto que minha vida se move mais rapidamente e de uma forma mais constante. Nem sei direito se fiz algo pra provocar tanta mudança, ou se tem algo a ver com alguma força interior ou exterior alheia à minha vontade (vai saber...). De qualquer forma, vou me permitir, vou me abrir, para algumas novas experiências que vão bater à minha porta e eu as receberei amavelmente e tornarei tudo muito mais agradável.

Nunca tive e jamais terei medo de errar, principalmente quando a felicidade e novas emoções estão em jogo. Decididamente vou me entregar com mais vontade, mais afinco. Como é que dizem mesmo? Sem medo de ser feliz!

Já coloquei por aqui o quanto aceito e procuro mudanças. Inclusive, em se tratando de mudanças, tenho usado este meio para desabafos e acho que está na hora de maneirar um pouco.

Sinto que novas perspectivas estão chegando, que novas alterações, sejam elas boas ou ruins, virão com mais intensidade – e eu estarei preparado para elas. Vencerei meus medos, tanto os novos e os que insistem em voltar, e crescerei com eles.

O cara cordial, amável, conciso, ponderado, vai permanecer, parecendo que nada mudou - exceto para quem enxergar mais além. Ou me ouvir.

Olho a minha volta, reflito muita coisa, como nos passeios que fiz recentemente, nas pessoas com quem conversei, nos filmes intimistas que assisti, nas questões filosóficas que permeiam a vida e não resisto fazer uma leitura de mim mesmo: me conheço mais; exijo mais de mim e dos outros; sinto tudo; vivo tudo. Muito mais que antes, e por isso mesmo, mais vezes darei asas à imaginação e, assim, serei levado para qualquer canto que não seja sombrio e torpe como muita coisa da vida real, que é infelizmente inevitável durante parte da caminhada, mas que me conduza para um lugar radiante e aconchegante, num átimo de conforto, que promova um descanso tão bom que nem sinta tanta vontade de querer voltar.

E ao abrir os olhos, como sempre me sentirei mais completo, buscando viver intensamente todos os dias como se fossem os últimos.

* * *
O clipe do mês é de uma música bem gostosa e envolvente do Trashcan Sinatras, January’s like joke.


video




***
Ilustração: daylyartpress.com

4 comentários:

Bela disse...

Já fui mais resistente a mudanças, mas descobri em uma paixão o quanto é bom permitir-se. A vida é mesmo agora.
Abraços moço ;)

LUNA disse...

Se näo abrimos a porta da nossa vida às novas experiêncças, ficaremos como uma estátua, quetos, vendo a vida passar, mas sem participar dela....

Um beijinho, amigo.
Gosto dos bäos propósitos.

Marcello disse...

sim, as mudanças são sempre bem-vindas, desde que para melhor. gosto das leituras q vc faz, de vc e da gente!! rs e como seu amigo já posso dizer q as mudanças já estão sendo percebidas! rs e o q vc quer dizer com "parecendo q nada mudou, exceto para quem enxergar mais além ou me ouvir"? se significa q perceber é as mudanças em vc então to vendo além. e tb te ouço, meu amigo, assim como vc me ouve. maravilha! e maravilha de música tb! muito boa! abraços

Rosangela O Araujo disse...

Pelo que percebo 2010 promete! E se promete (rs) Só não concordo com o "maneirar", já falei isto anteriormente. Suas colocações são pertinentes e provocam uma análise, muitas vezes forçando desligar o piloto automático e acionar o nosso "eu comigo mesmo"... Bjs, Rô