quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Naquele dia





Naquele dia eu senti
que seria doce ficar.
Que seria tanto despir,
O que o tempo tenta
voar...

Naquele dia eu ouvi,
que amaria até doer.
Que seria segredo sorrir,
o que dentro saliva em chorar.

Naquele dia aprendi,
que te olharia até dormir.
Que seria eterno tentar,
o que boca teima em fugir.

Naquele dia menti,
o que os olhos tentam gritar.
Em tuas mãos eu senti:
o que arranha tanto explicar...

Naquele dia fiz manha,
cantei até te expulsar...
E a vida assanha a garganta,
e o amor tenta curar...


Luciane Maria Lopes Zanata


* * *

Foto: de Eric Knoblock

3 comentários:

Camile. disse...

Muito lindo.

Rolando disse...

oi. tudo blz? estive por aqui. muito linda. apareça por lá. abraços.

BUTTERFLY disse...

Adorei, Marcinho, lindo !! Bjus enormes