quinta-feira, 3 de julho de 2008

Promessa


Quebrado pelo gemido
Vai-se o silêncio.

Os pensamentos chegam
Não adianta lutar
São grandes, fortes
Têm poder.

De repente a promessa acontece
Os pensamentos devagar se vão.
E depois voltam
Persistem
Não desistem
Insistem.

Mas a promessa os arrasa
Pouco a pouco se dissipam
Somem como fumaça
E nada mais são
Fumaça que passa
E mais nada.

Kátia Martins

4 comentários:

Marcello disse...

meu amigo, q poema interessante, sensível! valeu, kátia, muito bom!

Ana Luisa disse...

Ma-ra-vi-lho-sa! Que sensibilidade!

Anônimo disse...

Qualquer comentário é pouco! Ótima poesia! Tem mais dela?? rs abraços
Samantha

Sérgio disse...

Uau!! Estou abobado! Que delícia!