segunda-feira, 26 de outubro de 2009

As ruas





As ruas de Buenos Aires
já são minhas entranhas.
Não as ávidas ruas,
incômodas de gente e de bulício
mas as ruas indolentes do bairro,
quase invisíveis de tão usuais,
enternecidas de penumbra e de ocaso
e aquelas mais ao longe
carentes de árvores piedosas
onde austeras casinhas apenas se aventuram,
abrumadas por imortais distâncias,
a perder-se na profunda visão
de céu e de planura.
São para o solitário uma promessa
porque milhares de almas singulares as povoam,
únicas ante Deus e no tempo
e sem dúvida preciosas.
Para o Oeste, o Norte e o Sul
se desfraldaram - e são também a pátria - as ruas;
oxalá nos versos que traço
estejam essas bandeiras.


Jorge Luis Borges

Poema extraído do livro Fervor de Buenos Aires.
Foto de Rodolpho Oliveira.

6 comentários:

Ana Luisa disse...

Uma bela homenagem de Borges! Nesta poesia fica claro o quanto amava Buenos Aires, o quanto amava as suas ruas. Gostei.
Beijos

Marcello disse...

linda poesia, me fez lembrar de uma cidadezinha de minas, q não lembro o nome, q certa vez visitei, com ruas tendo essas características: "carentes de arvores piedosas/onde austeras casinhas apenas se aventuram". singular. valeu, meu amigo. abraços

Anônimo disse...

menino! que poema lindo!! é verdade, as ruas q vivemos são a nossa pátria, e aquelas nas quais crescemos são as nossas raízes!! perfeito! adorei! vc tá de parabéns! rs beijinhos Samantha Rangel

Armando Maynard disse...

As ruas do centro da minha cidade,
São limpas e claras.
Já as da periferia,
Sujas e escuras.
Mas são ruas, ruas diferentes,
Em umas moram os abastados,
Nas outras moram os carentes.

LUNA disse...

Nossas ruas, nossos caminhos, por donde väo os nossos passos.
Caminhos por donde transcorre a nossa vida, e por donde levaräo o nosso corpo, depois de morto, para outra rua.
A rua da cidade dos mortos.
Beijinhos

sergio.smorelli disse...

As nossas ruas, aquelas que a gente viveu boa parte das nossas vidas, nos ensinam muito e deixam saudades. A gente amadurece, envelhece, muda e elas nunca mais serão as mesmas em nossas vidas. No entanto, fazem parte delas e para sempre ficarão guardadas em nossos corações e lembranças. Bela escolha. Abraços