quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Devoro-te (dois)




Não lamento demorar
Se assim te devorar

Não quero mais esperar

Pois a demora que me devora
Não permite calcular o quanto separa
O ontem do agora


Márcio Luiz Soares

3 comentários:

.ana disse...

"Não lamento demorar
Se assim te devorar"

[às vezes a espera aumenta a vontade.]

adorei isso. sou fã de poesias.

bjos!

LUNA disse...

Tudo junto...¿näo era mais emocionante?
Beijinhos

Marcello disse...

meu amigo, parando pra pensar, a dor da espera, é uma das piores q acometem o coração! gostei disso: "a demora q me devora/não permite calcular o qto separa/o ontem do agora", essa coisa da espera nos consumir, fazendo a gente perder a noção do tempo, do passado ao presente, apenas. maravilha! abraços