sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Saudosismo





Hoje estou saudosista.

A chuvinha de hoje cedo me fez lembrar do cheiro da terra molhada do campo, das viagens pra Catanduva, da casa da minha Tia Geralda.

Desde cedo, estou lembrando de momentos agradáveis do passado, do cheiro do bolo de fubá quentinho no finalzinho da tarde, da caneca de porcelana com café com leite, dos passarinhos cantando no quintal antes de procurarem um lugar acolhedor para dormir.

Também lembrei de quando eu chegava da praia, em Santos, e após um banho gostoso, minha mãe, enquanto assistia novela, me fazia cafuné. Uma dessas novelas era Marina, e era reconfortante ouvir a música de abertura na voz do Beto Guedes junto com a voz afinada da minha mãe.

Quantas vezes não tirei um cochilo assim, embalado pela serenidade, sentindo os dedos carinhosos dela me levando para um mundo de paz e sossego?...

Impossível conter o choro da saudade.


* * *
A lição sabemos de cor
Só nos resta aprender
* * *
A música do clipe, Sol de Primavera, com Beto Guedes, é a da abertura da novela Marina. As imagens não são lá aquelas coisas. O que importa mesmo é a canção.



* * *
Foto de: Shaun Lowe (2004).

8 comentários:

disse...

Saudades... De pessoas especiais, lugares, cheiros... De momentos que nos trouxeram paz ou nos proporcionaram amor, carinho, dedicação e atenção. Tudo isto é um verdadeiro alimento para a nossa alma que até nos faz chorar de emoção e alegria. Vem carregada de sensações boas que sentimos falta, talvez por alterações nos valores sociais, sei lá... Mas, que quando conseguimos nos emocionar e deixar lágrimas rolarem... é sinal de que lá fundo, todos esses valores ainda estão “vivos”, enraizados em nosso caráter, que também nos torna “especiais”.

Parabéns, adorei!!! "A lição", sabemos de cor - ou seja, muito cuidado com o que valorizamos, damos importância. Não há preço que pague poder "sentir" tudo o que relatou... Beijos, Rô

Renan Barreto disse...

Saudades... Uma parada que só existe em português. É incrível como ela mexe conosco como se fôssemos pêndulos. Eu de vez em quando fico assim também, saudosista. Essas tardes me lembram infância. Uma época em que eramos tão mais tranquilos, não é mesmo? A vida era menos agitada e os nossos aniversários demoravam pra chegar, né?

Abração!

http://renanbarretoonline.blogspot.com/

Pequena disse...

Como é bom chegar neste saco e ler tanta coisa boa!
Saudade é a palavra da vez na minha vida, ora boa, ora nem tanto...mas me esforço só para ficar com as boas!
Grande beijo e bom feriado.
Kelinha

Armando Maynard disse...

Caro Márcio, interessante como o cheiro e a música têm o poder de nos reportar imediatamente ao passado, trazendo lembranças bem nítidas de momentos que não voltam mais e que deixaram saudades.Um abraço,Armando.

Bela disse...

Dias de chuva, dias de sol... também gosto muito de revisitar alguns momentos.
Abraços moço ;)

Ana Luisa disse...

Que gostoso isso, Márcio. Adorei. Me deu uma saudade da casa da minha avó... A chuva de verão sempre deixava esse cheirinho gostoso na terra. E pela manhã, tomar leite quentinho ouvindo os pássaros e as galinhas no quintal era tão gostoso!... Que bom que colocou a música aqui, pois me trouxe uma paz gostosa, como a que descreveu.
Beijo

Samantha disse...

q lindo, marcio, adorei! fico imaginando o qto vc se emocionou. tem dias q tbem fico assim, lembrando das coisas do passado, dando saudade, querendo reviver e procurar as pessoas q fizeram parte. sabe q me deu uma inveja desse cafuné? não q minha mãe não tenha feito, na verdade faz até hj, mas com musiquinha de fundo, ou essa musica em especial, nunca! rs

Marcello disse...

meu, me deu uma saudade de coisas do tipo q colocou! e essa música, bacana, sensível e q diz muito. valeu. e continua a série "a música do mês"! legal. abraços